terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Deleito da Liberdade

















Inunda-me com um esplendido prazer carnal, prazer emocional, prazer de viver contigo cada segundo.                     Nossos prazeres são nossos, e olhares alheios partilham de nossos íntimos momentos.
Olhares de encanto e repulsa, de cumplicidade e desafeto, de amor e ódio,
que em nossa realidade tornam-se apenas olhares.


As quatro paredes se tornara um carcereiro bestial, 
 
expandimos nossos desejos, não mais cabiam nas barreiras de concreto.
Nosso quarto um paraíso delirante, prazer pervertido, prazer não mais contido.
O temor não mais existe em nosso deleito, gozamos de liberdade, gozamos com liberdade! 


Meu caminho cruzou com o teu, nossos corpos agora cruzam a imensidão de desejos escancarados.
Desejos despirocados, libidinosos, libertinos, sádicos, mágicos.
Liberdade, corpos nus sob a luz do Sol, do luar, das estrelas, se entrelaçando numa trepada fascinante,
porque nosso amor é excitante, nosso amor é alucinante e fascina os olhos de quem vê.
Photo: Aivan Moura





Nenhum comentário:

Postar um comentário